Em OUTUBRO ---

A saga dos cavaleiros do grupo de estudo (parte II)



Pra explicitar bem o motivo de estar fazendo uma espécie tosca de "fan fic" neste blog, só preciso dizer que tudo se trata de uma brincadeira que envolve a mim e alguns amigos que fazem parte de um grupo de estudos de artes e de literatura pra lá de bacana. Acontece que em nossa última reunião, e logo num momento em que a divagação começou a fluir, começamos a falar sobre coisas da década de 80, época em que éramos apenas projetos de gente. No intervalo deste papo foram citadas alguns das nossas séries animadas mais prediletas e, entre estas, citou-se também He-man e a sua peculiar, e jamais repetida (!!), forma de animação. Por ser esta, entre todas as outras séries, a que mais nos demorou (o que demonstrou que era a mais amada por todos) foi que decidi prestar-lhes uma homenagem criando tal "episódio".

May I have your atention, please?: Esta parte da história foi escrita de modo a permitir que se ignore, pelo menos não na integra, os eventos da sua parte anterior, se quiser lê-la também é por sua própria conta e risco! Mas em duas partes? É, um episódio só que foi dividido em duas partes por meros motivos estruturais e criativos (uma estratégia meio tarantinesca por sinal). É isso aí cavaleiros!!!










Fazer o quê?Nem o Gorpo contava com a astúcia de Bernardo.
















































 

 

 

 


Quem diria... Ele é cearense de Itapipoca.















 

 







Fly away? Putz! Aquele não era o Lenny kravitz, era o Estratus!



Episódio de hoje (ou de ontem como se fosse de hoje):
Santa Seya (quem comeu comeu, quem não comeu não come mais!) - PARTE II

Aquela mais parecia com as típicas cenas de finais de episódio, todo mundo, em círculo, sorria a alto som acerca de uma piadinha bem tola. Mas, neste caso, o motivo fora a lição de moral que Bernardo dera em Gorpo que, irritado, disse querer transformá-lo em um jumento.
GORPO:  OKUSPOKUS!
Só que Gorpo não contava com a cosmo-energia do cavaleiro Bernardo que, a esse momento, havia se elevado a uma impressionante marca, permitindo-o de utilizar o golpe mas devastador de toda literatura inglesa moderna.
BERNARDO: Hã? preciso me defender!! Correnteza de Jaaaames joyce!!!
O indefensável golpe de Bernardo conseguiu rebater a mágica de Gorpo e fez com que ele se arrastasse por uns 40 metros de chão. Após isso, todos continuaram sorrindo por mais uns minutos.
ADAM: Ah Gorpo, aprontando das suas, hein? Haha!!
Em seguida Mentor pediu ao príncipe Adam que fosse buscar a sua "energia em pó" que havia deixado em uma das "esquinas retas" de Etérnia. E assim, aproveitando esta rápida saída, Mentor comentou que o príncipe era um caso extremo daquela síndrome de frescura que assolava em todo planeta, bastava-se ver pelas suas roupas: uma camisa branca babylook! Um colete rosa! E ainda por cima um colâ roxo! Outro caso que também estava lhe preocupando, pasmem, era o do He-man! Esse também estava expressando estranhas atitudes, a começar pela sua "transformação" que consistia em nada mais do que um "tratamento" em uma salão de beleza escondido em um compartimento secreto do castelo de Greyskull. No período deste tratamento, eram realizadas uma sessão de bronzeamento artificial (o que explicava a tonalidade de sua pele), um trato nos seus cabelos (no qual se aplicava uma escova e eram reparadas as pontas de seu impecável chanel), e uma massagem (que era opcional) e esse, no todo, era o segredo de que ele sempre falava nas aberturas da série.
ALAN: O quê?Arre, estou ficando com ódio dessa criatura que anda provocando toda essa bagunça!!! Ainda espanco esse Geninho com o volume da obra completa de Ferreira gullar !! Arrgh!
MENTOR
:
Calma, peço calma a todos vocês, cavaleiros, guardem todo os seus poderes para o momento da batalha! Devo logo dizer que um dos principais motivos de tê-los convocado para esse desafio veio justamente do fato de serem dotados de poderes jamais vistos, até mesmo em uma animação do começo da década de 80!
Só utilizando o poderoso raio de visão crítica, o qual vocês dominam com extrema perícia, é conseguiremos detectar esse inimigo que só existe implicitamente nas entrelinhas desta realidade!!!
BRUNO: "Realidade" que, diga se de passagem, está no nível do  maravilhoso /instrumental, segundo a classificação de literatura fantástica de Tvetan Todorov.
GERMANO: Mas há controvérsias! segundo Jorge Luis Borges...
ALAN: Hei!! Deixa de papo, o Mentor tá querendo continuar, não tá vendo?
MENTOR: Obrigado.Além do mais, se há outra razão para ter chamado vocês até aqui é que... Bem, não se surpreendam do que direi a seguir... O fato é que, pelo menos por alguns instantes, eu me sentiria novamente em casa ao lado de pessoas que me são quase conterrâneas, entenderam?
BERNARDO: Me chame de burro, mas não entendi..
GERMANO: Nem eu..
BRUNO: Hã?

MENTOR: É que eu... Sou cearense...
Tal revelação deixou os cavaleiros deveramente atordoados por alguns segundos. O único entre eles capaz de suportar choques extremos, o cavaleiro Alan, o leal, foi o que balbuciou primeiro algumas palavras inteligíveis após aquele susto inicial.
ALAN: Hã? Cearense....?

MENTOR: Pois é.. E de Itapipoca, ou vocês pensavam que isso tudo na minha cabeça era só capacete?

GERMANO: Ha ha ha
BERNARDO:Ha ha ha
ALAN: Hã?

BRUNO: É mesmo! E eu que sempre desconfiei se o seu nome era "Mentor" devido a sua habilidade como engenheiro ou por causa desse coco grande que você tem. Agora tudo ficou mais claro! hahaha

MENTOR: (Já um pouco irritado) Tá bem, mas vamos ao nosso plano.
Os guerreiros então se dirigiram a uma suntuosa sala de reuniões do palácio na qual foram servidas algumas iguarias da região, entre elas uma bebida bem conhecida do paladar dos cavaleiros, a boa e velha cervejinha, que o mentor mantinha escondida a sete chaves sob o perigo de expulsão do reino( claro, a classificação do desenho era para menores de idade). Após a pequena farra e algumas idéias nada geniais, ficara acertado que os cavaleiros teriam de sobrevoar o planeta de Etérnia, para do alto esquadrinhar melhor cada um de seus cenários em busca do terrível Geninho. Nisto, o Mentor acrescentou:
MENTOR: E, para tanto, contaremos com a participação de um de nossos maiores aliados.
Neste mesmo instante, aproveitando a "deixa", entra um sujeito vestido com uma roupa bastante sui generis e com grandes e inusitatos óculos.
BRUNO: Hei! Isso só pode ser um crossover!! Esse é o Lenny Kravitz em pessoa! Eu sou fã do cara! (Cantando) I wanna flyyyy awaaaayyyyy! Yeaaaah! Yeaaaah! Yeaaaah!
ALAN: O que é isso, cara!!! A síndrome atacou você também ? Não tá vendo que esse é o Estratus? Aquele cara que voa, tá ligado?
BRUNO: Ah é, foi mal.
ESTRATUS: Deixem dessa conversa, agora vamos lá guerreiros! Unidos venceremos a semente do mal!
BERNARDO: Semente o quê? Vamos invadir um latifúndio é?
GERMANO: Calma, é só uma metáfora ....
Enquanto os bravos cavaleiros, contando com a ajuda do Estratus, viajavam a bordo de uma das parafernálias faz-tudo que o Mentor inventava vez-em-quando pra sair da monotonia, ele, o Ilustre cearense de Itapipoca, permaneceu monitorando toda a situação de sua sala de operações. Nas alturas, os cavaleiros puderam vislumbrar os mais variados, e igualmente inóspitos, cenários do planeta de Etérnia que, diga-se de passagem, não era tão grande assim para não superfaturar o orçamento de todo o estúdio. Lá pelas tantas, os cavaleiros avistaram o facínora multicolor!
ALAN: Olha lá! Tá ali o sujeito!
BERNARDO: Vamos lá caras, chuuuumbo groso nele!!
BRUNO: (tentando guiar o veiculo voador) Peraí! A gente tem que manobrar essa joça primeiro!!
Mas o principal triunfo do Geninho era, justamente, a sua habilidosa furtividade, algo que deu bastante trabalho para os cavaleiros que não pouparam esforços nesta perseguição. A criatura conseguia fugir e desaparecer das formas mais esdrúxulas e assim esgotava, cada vez mais, com a paciência de todos.
GENINHO:Ha Ha! Seus otários!Quero ver me pergar!
GERMANO:O quê? Além de tudo é um deboxado!!!
O cavaleiro Alan, o leal, não suportou tanta enrolação e resolver dar logo um fim a tudo aquilo e, para encurtar a história, utilizou sua arma mais fatal, o "Choque das rígidas sombrançelhas", o golpe mais sério já inventado. A onda provocada pelo poderoso impacto "obnubilou", por assim dizer, aquela criatura de uma vez por todas do universo sideral. Livre de mais encargos, o grupo pôde respirar o ar da calmaria e pensar em seu retorno ao doce lar.
BRUNO: Só tem uma coisa, estamos no desenho do He-man e nem chegamos a ver o cara! Que saco!
ALAN:
Quem sabe ele não estava em uma de suas sessões de bronzeamento?
GERMANO: Vocês querem minha opinião? Estão lembrados de que o Mentor disse umas coisas pra sacanear com o Adam naquela hora em que ele queria que o cara saísse? Pois é, acho que ele levou a sério aqueles pedidos...
BERNARDO: Acho improvável.
E não é que, ao passarem por cima do reino de Etérnia, os cavaleiros avistaram, no chão, a figura musculosa e bronzeada de He-man tentando desdobrar um esquina a plenos muros e sopetões!...
HE-MAN: (socando que nem um condenado, mas sem perder a ternura e o penteado)Ugh!!! Arg!!!
Minutos depois, quando os cavaleiros adentraram no castelo, Mentor explicou-lhes, pesarosamente, que o aparelho extra-dimensional que os transportara havia derretido devido a alta taxa de acidez de Bruno, o pifardinico. Desse modo, não lhes restava nenhuma alternativa a não ser esperar enquanto ele construía outro aparelho igual.

GERMANO: Isso deve ter sido fruto de uma conspiração tramada pelo cavaleiro negro Duchamp, nosso inimigo mortal!
MENTOR: Mas não precisam se preocupar, só alguns anos e tudo estará em ordem...
ALAN: Anos? Tá doido !! Somos "defensores do universo" também, cara !
BRUNO: É, principalmente do universo semiótico, tá ligado velhinho?
MENTOR: Mais são só Ano-luz...
GERMANO: Pela cólera de Babel! Não podemos permanecer nem mais um minuto!Acabei de lembrar que deixei o miojo cozinhando!
BERNARDO: É, temos de voltar logo senão vamos perder o próximo café filosófico, tá entendendo !
Sensibilizado com as conseqüências que ele próprio provocara, Bruno falou que poderia solucionar o caso de nosso transporte se apelasse para uma arma secreta sua. E foi então que ele levantou o polegar da mão direta ao céu. Nesse exato momento, um feixe de luz se projetou sobre os cavaleiros e teletransportou todos em segurança para a suíte imperial de uma Nave interestelar com ar condicionado, sauna e quadra poliesportiva. Tratava-se dos mochileiros das galáxias, grupo ao qual Bruno havia aderido muito antes mesmo de ter entrado para os cavaleiros do grupo de estudo. Na nave, já de volta pra casa e tomando muita cerva gelada , os cavaleiros entoaram juntos uma melodia pra lembrar dos percalços que haviam passado:

TODOS: (Cantando)
"O mal vence o bem
Espanta o He-man !
A She-ra é uma piranha
Já deu pro Homem-aranha !
E o resto eu não sei
Mas o esqueleto é muito gay!"


GERMANO: Não caras, vocês erraram... O verso é:
(Cantando)
"Acorda o esqueleto 
E tudo fica muito preto!"


BRUNO: É mesmo? E por falar na She-ra ... A gente nem viu aquela gostosa ,não foi?
BERNARDO: O quê? Debreia e dá a volta nessa nave! Acho que ainda dá pra passar pelo planeta dela antes de chegarmos em casa!!

FIM.

Adicionar aos Favoritos BlogBlogsAdd to Technorati FavoritesJoin My Community at MyBloglog!

0 comentários:

Postar um comentário

Caro visitante,
Desde já agradeço pela sua disposição para comentar !! Fique a vontade para opinar e deixar suas sugestões.

<< CONHEÇA NOSSAS POSTAGENS ANTERIORES >>